animação

Sobre Hora de Aventura

sexta-feira, setembro 30, 2016

Hey galera! Td ok!?

Quem aí curte Hora de Aventura (HDA)? O desenho mais nonsense e ao mesmo tempo inteligente e cheio de mistérios dos últimos tempos? Claro, que eu sou super fãnzaça da turminha da terra de OOO né!!!! E ontem o Cartoon Network anunciou que a série animada irá se encerrar em 2018, para minha tristeza e de muitos outros fãs do cartoon. #cry


O criador da animação , já em tom de despedida, declarou que Hora de Aventura foi um projeto de paixão, e que "tentaram colocar em cada episódio algo genuíno e com mensagens sobre nossas vidas". Alega ainda que não imaginava que o desenho alcançaria o público imenso que tem hoje, entre crianças e adultos, e por tanto tempo.


Minha preocupação é se todas as minhas dúvidas e perguntas serão respondidas!! Omg. São tantos os enigmas desse desenho animado, que me perco só de pensar. Quem acompanha a saga sabe do que tô falando. Mas enquanto 2018 não chega, temos aí mais 1 ano e meio para aproveitar as aventuras de Finn e Jake.


E para não deixar aquele clima de despedida que eu odeio  no ar, bora relembrar alguns fatos intrigantes do desenho! Trouxe aqui algumas curiosidades e teorias sobre HDA pra vocês, que provavelmente quem gosta de HDA já saiba ou tenha ouvido falar. Confiram aí:

# 1. Hora da Aventura se passa num mundo pós-apocalíptico
A Guerra dos Congumelos, citada no desenho, trata-se de uma guerra nuclear que deu origem ao mundo de OOO. As radiações das bombas atômicas destruíram praticamente toda a vida da Terra, e alguns sobreviventes sofreram mutações genéticas, o que originou as criaturinhas que habitam OOO. É possível ver isto nas cenas inicias da abertura da série, onde aparecem objetos cotidianos destruídos em uma terra morta.



# 2. O buraco na Terra
Existem especulações sobre a origem da cratera na Terra, que é mostrada na série. Alguns acreditam que ele tenha sido consequência da Guerra dos Cogumelos, outros dizem que foi um meteoro que atingiu a Terra, e alguns, que pode ter sido provacada pela Guerra dos Cães e Iriscórnios. 


# 3. A Guerra dos Cães e Iriscórnios
A Terra de OOO já presenciou muitas guerras, e uma em particular, é a menos citada no desenho: A Guerra dos Cães e Iriscórnios. No episódio "Os Pais Dela", Jake conta que essa guerra aconteceu na Dimensão dos Cristais e durou milhares de anos. Em nenhum momento é contado quem venceu a guerra, ou o que a provocou.


# 4. Jake não nasceu de meios tradicionais (normais)
Jake acreditava que conseguira seus poderes rolando na lama, mas não foi assim. Joshua e Margaret, pais de Jake, investigavam uma caverna e se depararam com uma Criatura Venenosa. A criatura morde a cabeça de Joshua, causando uma cicatriz, o que explica porque ele sempre está de chapéu. A cicatriz se abriu, e de lá saiu Jake.



# 5. A Terra do Caroço
Existem algumas teorias sobre este lugar, uma mais intrigante do que a outra. Uma delas é que a Terra dos caroços é o pedaço que se desprendeu da Terra durante a Guerra dos Cogumelos, e o pessoal que era rico descobriu que lá era um lugar habitável, e foram para lá. Infelizmente não conseguiram se livrar da radiação, surgindo assim o povo Caroço. Podemos observar que os costumes da galera do Caroço, é extremamente igual a nossa. Usam celulares, possuem carros, fazem festas, tudo muito "terraquiano". Outra teoria muito plausível, é que a Terra do Caroço na verdade é o Céu, e todo o povo Caroço está morto. Oh my Glob!


# 6. A Terra de AAA
A Terra de AAA é um universo alternativo criado pelo Rei Gelado, para contar histórias as princesas da Terra de OOO. Alguns acreditam que essa terra realmente exista. Todos os personagens de OOO também existem na terra de AAA, só que apresentam o sexo oposto. Fiin é Fiona, Jake é Cake, Princesa Jujuba é Príncipe Chiclete, Marceline é Marshall Lee, Lady Íris é Lorde Monocromicórnio, Rei Gelado é Rainha Gelada, e assim por diante.



# 7. Na música de abertura, é possível ouvir alguém digitando
A letra da música-tema da série é a mesma usada no piloto. Se prestarmos atenção, é possível ouvir um click-claque na cena em que Jake está esticando as pernas. Os produtores disseram que tentaram regravar a música novamente, mas não gostaram dos resultados, e acabaram ficando mesmo com a primeira versão. Aos 16 segundos da abertura é possível ouvir o barulho da digitação.


Aos 16 segundos da abertura é possível ouvir o barulho da digitação.


# 8. Finn não é o único humano
Alguns outros humanos aparecem na saga, ou quem já foi humano um dia. O Rei Gelado por exemplo era o humano Simon Petrikov, historiador de 40 anos, antes da Guerra dos Cogumelos, e antes também de adquirir a coroa que começou a controla-lo. Marceline também nem sempre foi vampira, ela possui furinhos no pescoço. além de ter sido revelado coisas sobre sua infância humana no episódio "Eu me Lembro de Você" e "Simon e Marcy". Hunson Abadeer (Pai de Marceline) também não era vampiro, existem teorias de que virou vampiro por causa das radiações. 



# 9. Simon Petrikov, Hunson Abadeer e o Lich
A ligação entre esses 3 personagens sem dúvida é a que mais me intriga, e com certeza, a internet inteira. A especulações quanto à isto: Simon, Hunson e o Lich (ou quem quer que fosse antes de se tornar o Lich), eram amigos antes da Guerra dos Cogumelos. A imagem abaixo, ronda a net e deixa muita curiosidade no ar. Simon Petrikov, como sabemos e já revelado no desenho, se tornou o Rei Gelado; Hunson Abadeer, pai de Marceline, se tornou o vampiro Senhor do Mal. Mas e o Lich? Seria ele o verdadeiro pai de Finn? E como ele se transformou no Lich? Essas teorias não tiveram comprovação total e aguardamos ansiosos por isso. 


# 10. Gunter
O pinguim mais engraçadinho do desenho, é também o ser mais maligno. Isso porque Gunter, na verdade é Orgalorg, uma entidade anciã cósmica do mal, extremamente poderosa que governou o sistema solar como um "destruidor de mundos" ou "conquistador de planetas". Porém o Deus de Marte não gostou do fato de Orgalorg querer tanto poder, e mandou Grob Gob Glob Grod (entidade de marte, aparece no epiódio "Filhos de Marte") o exilar. Orgalog foi mandado para a Terra, e a gravidade o comprimiu, deixando ele com o formato de um pinguim.




# 11. Finn é realmente humano?
Surgiu uma especulação na internet, de que Finn na verdade, não é humano. Fãs fizeram uma observação de acordo com traços e características do desenho. Sempre que um humano é representado no desenho, ele possui as dobras das articulações certas, ou seja, cotovelos e joelhos. E para nossa surpresa, Finn não apresenta essas articulações! Seus braços e pernas são simplesmente curvos na maioria das vezes. E aí? O que vocês acham dessa teoria?


Lembrando que todas as teorias foram retiradas de fã-sites na internet, outras entre conversas com amigos e que muitas são apenas especulações. Teorias à parte, Hora de Aventura vai deixar muitas saudades! Mas até 2018, temos um tempinho ainda, e espero que minhas muitas dúvidas sejam respondidas! Hahahahaa

 See ya!


aleatoriedades

Sobre 3 gatas e 1 gatinho.

quinta-feira, setembro 29, 2016

Fala galera! Tudo ok!?

Hoje vim aqui contar minha experiência e história com minhas 3 gatas, e meu gato. Confesso que quando comecei a escrever o post, imaginei contar algumas curiosidades felinas e tal. Mas comecei a escrever sobre meus gatos, e de certa maneira, o post virou a história deles, e um desabafo. Continue lendo, e vocês vão entender.

Bem quem me conhece, sabe que eu sou uma Catlover assumida, e pretendo ter pelo menos uns 7 gatinhos morando comigo. Sim, serei a loka dos gatos! Muahahahahaha. Enfim, quem aí ama gatos, sabe como é! É muito linda essa companhia, cheia de amor, carinho e afeto. E quem não gosta de gatos, é porque nunca teve um, sério. Falo por experiência própria. Eu já fui uma pessoa que não ligava mto para gatos. 

Maya e o ratinho rosa

Mas aí, um dia resolvi adotar uma dupla. Duas irmãzinhas. Maya e Miah, siamesa e tigrada. E foi a melhor coisa que podia ter feito! Uma experiência de amor felino sem tamanho. Brincava o tempo todo com elas, e quando estava ocupada com meus afazeres, elas sempre estavam juntinho à mim, seja deitadas na estante de livros, no sofá ou dormindo na cama. Eramos uma família linda.

 

 

Aí, passado algum tempo já, eu resolvi adotar mais uma gatinha. Afinal, 2 é bom e 3 é melhor ainda! Pensei. Haha. E veio a  Melissa, que era uma gatinha travessa toda preta. Uma fofura. Só que eu fiquei preocupada. A Maya e a Miah não aceitaram a Melissa logo de início, e como eu era novata como mãe de gatos, não sabia que gatos precisavam ser 'apresentados' a novos membros felinos de uma maneira especial, nem tinha ideia. Não entendia porque elas se estranhavam, e não começavam a brincar logo de uma vez. Resolvi pesquisar na net, sobre o que fazer pra introduzir a nova gata com as duas irmãs, que já eram donas da casa.



E então, descobri que eu precisava deixar a gatinha nova, num quarto sozinha, sem contato com as outras duas, para que elas fossem acostumando com o cheiro da novata, e não sentissem medo. Após acostumarem, iria apresentando elas aos pouquinhos, e sempre que fossem brincar com alguma coisa, eu tinha que estar presente, brincar junto, para entenderem que a novata não seria uma ameaça. Achei super curioso! Mas foi uma ótima experiência. Conforme eu ia brincando com as 3 juntas, elas iam ficando mais confortáveis. Confesso que foi um pouco trabalhoso e demorado. Até que elas ficaram mais tranquilas, e já brincavam sozinhas. Depois, foram dias felizes.



Acontece, que eu tive que deixar o apartamento onde morava com as 3 gatas, e voltar pra casa dos meus pais. Foi um sofrimento, pois elas já estavam acostumadas a ter somente eu em casa. Quando chegaram na nova casa, estranharam muito. Tivemos que tomar umas medidas cautelosas para com elas, para que não ficassem com medo e fugissem. Levei as 3 para castrar. Além do gato ter uma vida mais saudável e duradoura, a castração pode ajudar o gatinho a ficar menos agitado. Descobri isso pesquisando também. Tomávamos todo o cuidado com a porta, que não podia ficar aberta, e também com as janelas. O quintal é até grande, e a área do fundo é coberta e fechada, então imaginei que não teria problema. Depois, fiquei sabendo que atos não precisam de um espaço muito grande para estarem bem.





Porém, com pouco mais de 2 semanas que tinha voltado pra casa, a Melissa sumiu. Não consegui achar ela em lugar nenhum. Procuramos nos vizinhos, fiz anuncio no face, no bairro e nada. Creio que ela achou a porta aberta, em algum momento de descuido, e acabou saindo para a rua. Era novinha ainda, tinha uns 6 meses. Fiquei profundamente triste e sem saber o que fazer. Gostava demais dela, era uma gatinha muito carinhosa, daquelas que sobe no seu colo e pede abraço.


Depois disso, eu toda preocupada, redobrei a atenção. A Maya e a Miah já estavam mais acostumadas, não iriam fugir, pensava. A Maya sempre foi a mais espoleta, adorava descobrir as coisas e era super curiosa. A Miah era super medrosa, e só deixava eu chegar perto dela. Passava quase todo o tempo no meu quarto. Conforme o tempo foi passando, foram se acostumando mais, até ficarem super preguiçosas no sofá, assistindo TV com a família.


Nesse tempo eu adotei um novo gatinho. Minha mãe ficou louca, claro, mas eu não tive escolha. Eu resgatei ele de um terreno baldio, que tem perto da casa do Lucas (meu namô e colaborador aqui do blog). Ele estava chorando muito lá, e ia começar a chover. Fui lá, peguei o gatinho e subi pro apê do Lucas. Aí resolvemos que iriamos cuidar dele e que eu o levaria pra minha casa. Demos água pra ele, e um pouquinho de leite. Comprei ração de filhotinhos, aqueles sachês com pedacinhos de carne, foi uma beleza. Batizei ele de Teemo (igual ao personagem do League of Legends, hehe). 


Ele, um gato guaxinim como dizem, um tigrado da cor de mel. E então levei-o pra casa. Fiz a mesma introdução que citei acima, separando os gato em seus espaços, e brincando com eles aos poucos. Porém o Teemo acabou ficando mais tempo sozinho no meu quarto do que deveria. Isso acabou deixando-o um pouco arisco. Mas ele só precisava se socializar  mais, e então deixei ele perto das outras gatas. No fim, a Maya continuou sem gostar dele, a Miah não ligava muito.


Passaram mais uns 6 meses, e então a Maya resolveu sumir tmb. Porém, eu jamais imaginaria. Ela já estava toda acostumada com o Teemo, embora não gostasse dele. A Maya costumava sair pelos telhados, com os gatos vizinhos. Não tinha como colocar tela pelo quintal todo, então não tinha como eu prender ela. Mas ela sempre voltava. Porém um dia ela foi e não voltou mais. Acho que foi o dia que mais chorei. Sério. Amava demais aquela gata. Fiquei me culpando por um bom tempo. Até que alguém me disse que não era culpa minha, e que gatos, as vezes tem isso de quererem explorar o mundo. Hoje, quando penso na Maya, imagino ela por aí, caçando borboletas como gostava de fazer aqui em casa. Acho que é menos doloroso dessa forma.

Maya
Enfim, hoje tenho a Miah e o Teemo. A Miah continua medrosa, porém bem menos. É super carinhosa, e ama carinho também. Adora ficar "amassando pãozinho" com as patinhas no braço do sofá, e sempre me da mordidinhas de amor. Gatos tem muito disso, se eles gostam muito do carinho, começam a dar mordidinhas. O Teemo está super sociável, embora não goste muito de carinho. Só quando está dormindo. Adora dormir na minha cama quando estou aqui no quarto, mexendo no note. Ele é super espoleta, ama a Miah e gosta de brincar com o Luke, um dos meus cachorros Shitsu (sim, tenho 4 cachorros aqui em casa tmb, OMG!). O Luke adora o Teemo tmb, e os dois costumam dormir juntos. 



Eu não adotei mais nenhum gatinho, por medo de fugirem. Ainda tenho muito medo disso, então decidi deixar as adoções para quando estiver morando em um apê novamente. Eu busco ajudar as ONGs de adoção, compartilhando os posts no face, indicando pessoas que tenham interesse em adotar. Acho que é o mínimo que posso fazer. Mas é claro, se eu encontrar algum gatinho perdido e abandona, como foi com o Teemo, não penso duas vezes. Mesmo que for para dar lar temporário. 


Bem gente, o post ficou um tanto longo e emocionante pra mim mesmo. acho que nunca tinha escrito a história dos meus filhotes assim. Fiquei super nostálgica aqui. Mas acho que consegui expressar o que queria, quanto as experiências e ao amor que tenho pelos meus gatinhos. Quando você aprende a amar um gato, sabe que nunca estará sozinho e sempre terá o amor retribuído, de uma forma ou de outra. 

Vou deixar as curiosidades para um próximo post, pois são muitas também. Quando o assunto é gatos, me empolgo super! Espero que tenham gostado!!!

Bjos! 
See ya.







filmes

#Filmes: A Vida Secreta de Walter Mitty

terça-feira, setembro 27, 2016

Hey peoples! Tudo ok com vocês!?

Ontem assisti um filme com o Lucas (meu namô) que gostei muito e vim aqui indicar pra vocês: A vida secreta de Walter Mitty (The Secret Life of Walter Mitty) de 2013. Sim, é um filme de comédia. Porém, não aquela comédia besteirol, mas sim dramática. Tem ação, aventura, romance. Eu classificaria como um filme Cult até. 


Aí, pedi pro Lucas fazer uma resenha, porque ele sempre se empolga com os filmes e observa ótimos pontos que as vezes eu deixo passar. Sempre digo à ele que é um ótimo crítico de cinema e deveria fazer um blog com o assunto! Mas ele ainda não está tentado pela proposta... Então enquanto isso, ele vai colaborar comigo aqui! Hahaha Segue a resenha, escrita pelo Lucas ❤️.


A vida secreta de Walter Mitty (2013) é dirigida e protagonizada por Ben Stiller que ocupa o papel de Walter Mitty, um gerente de ativos negativos (fotografia) na revista Life, um homem que tem seus gastos controlados numa caderneta e uma vida amorosa resumida a admirar, de longe,sua colega de trabalho, Cheryl (Kristen Wiig). Para "fugir" de sua rotina entediante, Walter têm devaneios com aventuras fantásticas constantemente. É um sonhador.



A trama do filme se inicia no momento em que a revista LIFE começa sua mudança, pelas mãos do gerente corporativo de transição, Ted Hendricks (Adam Scott) de revista impressa para online, tornando a próxima (e última) revista impressa extremamente significativa. Temos Sean Penn no papel de Sean O'Connell, um fotojornalista conceituado e old-school (hipster, pelo conceito atual). Estando a par das mudanças na revista, Sean envia seu último rolo p/ Walter, sugerindo como capa o negativo 25, a foto que carregaria a essencia da revista Life: 

"Para ver o mundo e as coisas perigosas que estão por vir,
Para ver além das paredes e chegar mais perto,
Para encontrar o outro e sentir.
Esse é o propósito da vida."  
- Lema da Life, e de nosso protagonista



Obviamente, que para a (falta de) sorte do nosso protagonista, o negativo não está lá, levando Walter a uma busca por Sean (um fotógrafo que em plena era dos smartphones não possui um celular e nem e-mail) baseando-se nos possíveis locais onde o fotojornalista poderia ser encontrado.


É neste momento do filme em que se inicia a quebra do personagem de Ben Stiller, onde suas aventuras imaginarias vão perdendo espaço ante as reais aventuras, (numa lista de feitos que deixaria qualquer mochileiro de boca aberta) deixando seu consultor do eHarmormy (Patton Oswald) estonteado. Desde os trajes de Walter, que só usava tons neutros (branco) e aparecia com cores mais quentes (tanto no vestuário, quanto na paleta de cor das cenas) em seus sonhos acordados, à usar tons quentes (principalmente vermelho) constantemente, de maneira que as vestes do protagonista se alteram de um terno sem graça até chegar num traje completo de alpinista. 





Até a trilha sonora, ausente nos momentos iniciais do filmes e extremamente empolgante e cativante no final, passa por mudanças drásticas. A escolha da trilha é ótima, num primeiro momento temos as primeiras estrofes da reflexiva e um tanto quanto melódica "Space Oddity" de David Bowie, parte onde Major Tom, deve juntar coragem para sair de sua capsula espacial para o espaço. Com o decorrer do filme passamos para a crescente "Dirty Paws" de Of Monsters and Men, que assim como o personagem, começa com uma batida leve e chega num ritmo empolgante! A fotografia do filme também muda, começamos com cenas minimalistas e simétricas e chegamos a takes abertos que são de tirar o folego.  




Em conclusão, Walter Mitty passa por uma "jornada do herói" (tema para um próximo post) como não vemos nos grandes blockbusters. Seu chamado para a aventura começa com um problema simples, ele não é motivado por honra ou desejo por glória, é simplesmente como se algo estalasse no protagonista, como se a mente de Walter tivesse se cansado de viver nos devaneios. Sua jornada é inspiradora, nos revela algo que todos nós estamos aptos a fazer: quebrar a rotina.


Vale à pena conferir!

E pesquisando mais sobre o filme, achei umas curiosidades bem interessantes no Adoro Cinema, que você pode conferir clicando aqui. Listei algumas abaixo:

Curiosidades sobre o filme e sua filmagem:

# 1. O filme trata-se de uma refilmagem  de "O Homem de 8 vidas" (1947)

# 2. Samuel Goldwyn Jr., produtor de A Vida Secreta de Walter Mitty, é filho do lendário Samuel Goldwyn, que realizou O Homem de 8 Vidas.

# 3. Jim Carrey foi cotado como primeiro protagonista, em 1994.

# 4. O filme passou por várias produtoras cinematográficas, até chegar ao seu fim, dentre elas: New Line Cinema, Dreamworks, Paramount e Fox.

# 5. O filme ficou parado por mais de décadas e chegaram à 6 tentativas de filmagens! Somente na sétima realmente deu certo.

# 6. Finalmente, em abril de 2011 foi anunciado que Ben Stiller seria o protagonista de A Vida Secreta de Walter Mitty. Em julho do mesmo ano ficou definido que ele seria também o diretor do filme.

E é isso! Me contem nos comentários o que acharam! 
See ya!

Instagram

Popular Posts

Pinterest

Like us on Facebook